Campanhas digitais: você pode estar sendo enganado.

Campanhas digitais: você pode estar sendo enganado

Cezar L. Choptian | CEO da Sirius soluções Digitais 


  

Não é raro deparar-se no dia a dia com empresas sendo enganadas quando o assunto é mídia digital. Seja por incompetência ou má fé de quem presta o serviço, uma infinidade de clientes é lesada todos os dias.

A falta de conhecimento técnico dentro das empresas, eventualmente, pode deixar espaço para que profissionais ou agências sem qualificação sejam contratados, e acabem criando campanhas ineficientes, caras e sem resultado.

Em tempos de recessão, não há espaço para gastos desnecessários, desde funcionários em excesso, consumo de matéria-prima em excesso, ou qualquer outra forma de desperdício. Em geral, nota-se um espírito de eficiência ganhando cada vez mais força, e limpando, gradativamente, a bagunça que se acumulou durante os “anos de bonança”.

Entretanto, quando falamos de algo novo, e tão mutável, quanto o digital, a maior dificuldade é identificar quem é ineficiente, e saber diferenciar gastos de investimentos.

“Investimento: Gasto ativado em função de sua vida útil ou de benefícios atribuíveis a futuro(s) período(s). Ou ainda: Aquisição de bens ou recursos, prevendo posterior utilização do bem ou o consumo do recurso.”

Ou seja, quando se faz um investimento, espera-se um ganho futuro diretamente ligado a esse investimento. Por isso é imprescindível nas campanhas em mídias digitais, que haja uma apresentação de relatório clara, detalhada e, se possível, objetiva.

Aqui vão algumas dicas de como saber se você está sendo enganado:

 

Pagamento global de investimento e honorários

Em geral, os pagamentos dos investimentos em mídia devem ser realizados diretamente a empresa onde a campanha será veiculada.

Por exemplo, em uma campanha de Google Adwords, é habitual que o valor correspondente ao investimento na campanha seja pago diretamente ao Google, via boleto de crédito (pré-pago), ou cartão de crédito (pós-pago). Essa regra pode ser estendida para todos os demais canais utilizados.

Os honorários podem ser fixos, ou estabelecidos em percentual do valor principal investido, e são pagos diretamente à agência contratada.

Os canais como Google, Facebook, etc, fornecem notas fiscais de todos os valores investidos junto a eles, para que a prestação de contas seja clara e confiável.

Caso o profissional ou agência façam a cobrança integral dos valores, tanto de mídia quanto de honorários, há um sério risco de que o valor que deveria ser destinado à mídia não chegue integralmente ao destino, sofrendo algum desvio no meio do caminho.

Acreditem, isso é mais comum do que parece, e pode gerar um gasto muito elevado, com resultados bem mais baixos do que aqueles que poderiam ser alcançados.

Solução:

- Busque sem ter acesso aos painéis de gerenciamento das campanhas, diretamente nos canais utilizados, para poder auditar os valores investidos.

- Pague os valores de mídia diretamente aos canais onde a campanha será veiculada.

- Solicite mensalmente as notas fiscais emitidas pelos canais, para acompanhar a totalidade dos valores investidos.

 

Não cobrar honorários

Em geral, não há fórmula mágica. Se um trabalho de qualidade é realizado, deve haver um pagamento por ele.

Se, em algo momento, você receber uma proposta de criação e administração de campanhas sem a cobrança de honorários, desconfie – você pode estar sendo enganado.

 

Baixa qualidade da campanha

Usando por base as campanhas criadas no Google Adwords, por exemplo, é possível que os gastos sejam até 10x maiores que o ideal, somente pela baixa qualidade da campanha criada (em rede de pesquisa por exemplo).

Em geral, todos os canais têm trabalho com esse conceito de variável de qualidade, influenciando diretamente no custo, podendo tornar a campanha mais cara e pouco eficiente.

 

 

O índice de qualidade, como é possível observar na imagem acima, é uma variável que multiplica o valor do lance, formando o score de cada anúncio para cada palavra-chave por exemplo.

Ou seja, uma campanha bem trabalha, com índice de qualidade (IQ) 10/10, terá o valor do seu lance multiplicado por 10, formando seu score final.

Em uma campanha de baixa qualidade, em que o índice de qualidade pode ser o mínimo – 01/10 – seu lance é multiplicado por 1, formando um score extremamente baixo.

Assim, se compararmos dois concorrentes, onde um tem uma campanha com alto índice de qualidade, e outro com nível muito baixo, temos o seguinte cenário:

 

CLIENTE 1    -     IQ: 10/10    -    Lance: R$0,48    -    Score: 480    -    Posição: 1

CLIENTE 2    -     IQ: 01/10    -    Lance: R$4,50    -    Score: 450    -    Posição: 2

 

Percebe o quanto uma campanha de baixa qualidade pode acabar com o seu orçamento?

(Isso pode se aplicar para empresas que criam suas próprias campanhas internamente, sem o conhecimento adequado)

 

Solução:

- Solicitar a presença do índice de qualidade nos relatórios de desempenho apresentados.

- Contratar profissionais ou agências bem-conceituados.

- Contratar um serviço de auditoria ou revisão de suas campanhas atuais.

 

Existem outras inúmeras formas de conseguir saber se você pode estar sendo enganado, mas com as dicas acima você já pode iniciar uma pesquisa e saber como está o real cenário digital da sua empresa.

---------------------------------------------------------------------------

Cezar L. Choptian é especialista em SEO, e CEO da Sirius Soluções Digitais, com foco em consultoria SEO para agências. Advogado, com MBA em Marketing pela PUCPR, e cursos de Marketing Digital e SEO pela L2G (Portugal). Entusiasta no mundo das Startups, foi Diretor de Inovação e Marketing do SitePX, e é head da X Lab, que desenvolve as Startups Fix Mobile, Meus Doutores, Clube Corporativo, Media Focus e Agentus.

voltar para Blog

show tsN fsN fwB center bsd b03s|tsN fwB bds uppercase b01n left|fwR tsN hide center|bnull||image-wrap|news|fsN fwR normalcase tsN fwB b01 bsd|b01 c05 bsd|news login fwR normalcase|tsN normalcase fwR|normalcase fwR|content-inner||