Criatividade inovação design negócios sensibilidade

Criatividade inovação design negócios sensibilidade

 

Aziz Camali (dznhando) e Diogo Dutra (Caos Focado) Aziz Camali e Diogo Dutra são dois excelentes exemplos de jovens criativos e cheios de energia dessa nova geração de empreendedores. Além de talentosíssimos, são ousados, sabem do que estão falando, colocam a mão na massa e realizam tudo aquilo que planejam. São dois jovens profissionais que com certeza merecem sua atenção. O Aziz estudou Design Thinking Action Lab na Stanford DSchool, Simplicity Thinking no Centro de Inovação e Criatividade na ESPM, Publicidade e Propaganda na Escola Panamericana de Arte e fez especialização avançada em Branding – Troiano. Já o Diogo estudou Engenharia Mecatrônica na Escola Politécnica da USP, Design de Egenharia na Ecole des Mines de Paris, é especialista em processos de Inovação Cyber Futurista e blogueiro. RED NEWS: O que é a dznhando, como surgiu, onde fica, qual é a área de atuação e o que a diferencia das demais empresas do mesmo segmento? AZIZ CAMALI: Quando descobri o universo de criatividade, vi que ele se encontrava dentro de estruturas chamadas agências. Quando conheci as agências e a lógica de como funcionam seus modelos de negócio, percebi que aquilo não estava nem perto do significado de criatividade que eu acreditava e sonhava. Há 5 anos a dznhando trabalha com a transformação de histórias, histórias partindo de problemas, apresentados por um narrador chamado de empreendedor (empreender pra mim é mais do que um adjetivo). Um narrador que quer transformar, criar ou potencializar algo que dentro do mundo capitalista as pessoas classificam como negócio, mas que no fundo a realização desse sonho é o que vai alimentar e transformar essa jornada. Porém, como muitas vezes essa apresentação tem que ser mais objetiva e menos emocional, a nossa outra classificação é a de que somos uma empresa capaz de conectar criatividade partindo da forma mais abstrata se concretizando de forma tangível que gere impacto de negócio. 3 exemplos práticos. Era uma vez um livro de inglês que virou o principal programa de > http://bit.ly/1lyeuRr Era uma vez uma personal trainer que queria um site, folder e uma marca > http://bit.ly/1aSvVek Era uma vez um escritório de arquitetura querendo se reinventar em Aracaju > bit.ly/1iZtkim RED NEWS: E a Caos Focado, Diogo, como surgiu, o que faz, onde fica? Qual a ligação com a dznhando? DIOGO DUTRA: A empresa surgiu de um grupo de estudantes da USP que se conectaram através de uma paixão comum pelo tema inovação. Paixão que foi estimulada através de suas vivências internacionais particulares e percepção de que uma análise superficial não funciona mais para o mundo complexo em que vivemos. Desde projetos em inovação social com o MIT, trabalhos de design de interações sociais até teorias cognitivas de criatividade em universidades Francesas, a empresa presa muito mais do que a multidisciplinariedade (administradores, engenheiros, designers, entre outros), mas também pela vivência multicultural (Gana, Boston, Paris, Zâmbia, entre outros). Hoje, a empresa atende clientes e o foco é na interação entre a academia e o mundo business, além de fazer trabalhos importantes de desenvolvimento de inovações e negócios sociais. A simbiose com a dznhando nasceu na união da teoria com a prática e da aproximação do mundo inovador (vindo da academia) com o mundo business (sedento de inovação). A simbiose foi clara e a soma seria de 1 1=3, é o que nós falamos. RED NEWS: Como vocês explicam os termos "inovatividade" e "criativação" utilizados por vocês para definir o seu processo? AZIZ CAMALI: O grande desafio do universo teórico, é tangibilizar termos em respostas e soluções em prática. Quando falamos em criatividade, a essência da dznhando, com inovação, essência do Caos Focado, vemos que a mistura é o que torna o processo e resultado quase mágicos. Misture essas duas práticas, e esqueça a necessidade de classificar em termos. DIOGO DUTRA: A única função dos termos é fazer uma contradição na cabeça das pessoas. Dizemos que a inovação surge dai. O nosso trabalho é de intensa provocação nos clientes. Estamos o tempo todo provocando mudanças de percepções e quebras de formas de pensar. Os termos misturados provocam esse tipo de mudança. Mas os termos por si só são apenas 1% do resultado, é preciso fazer os outros 99% para que isso se torne real. RED NEWS: Qual a sua crítica ao jeito mais conhecido de se fazer um plano de negócios? AZIZ CAMALI: Toda inovação nasce de um pressuposto de questionamento, e não crítica, de uma teoria existente. Hoje existem negócios, classificados como consultorias, que preparam as receitas, vulgos diagnósticos, e outros que implementam, chamados de agências. A unificação e mistura desse processo evita a frustração de desenhar um “Canvas” cheio de post-it e ver que na hora de implementar a realidade é outra, ou finalizar algumas artes bonitinhas e perceber que não passam de uma bugiganga. Existem diversas outras formas de se pensar negócio e desenhar negócio sem que sejam os modelos de negócio à la SEBRAE. Acreditamos no protótipo, mvp, no teste e no erro prático para acelerar e evoluir na prática as ideias que estão no papel. RED NEWS: Que sugestão você daria a pessoas que estão querendo empreender neste momento? AZIZ CAMALI: Duas dicas: 1- Participe do nosso workshop 2- Vai lá e faz. Aplique, mergulhe de cabeça e experimente uma sensação que só quem vive ou viveu sabe. Se ainda esta pensando procure ajuda para o empoderamento. É o que falamos, o primeiro passo para dar certo é o querer de verdade e do fundo da alma. RED NEWS: O que as pessoas podem esperar do workshop? AZIZ CAMALI: O objetivo da nossa experiência, que mistura prática e teoria, é expandir, através do coletivo, a visão do participante em relação à verdadeira criatividade e inovação que não se limita ao aplicativo, hotsite, formato impresso ou um comercial de 30 segundos. A habilidade de desenhar o caminho, construir a partir da mais forte ideia e realizar a melhor solução. Pega tudo o que você faz preso em um departamento ou a limitações de empreender do zero e venha aberto para uma experiência diferente do que você vive ou imagina. REDNEWS: Quais as ferramentas práticas que as pessoas poderão utilizar depois que fizerem o workshop? DIOGO DUTRA: Além do envio de todas as ferramentas de processos imersivos, a apresentação do nosso workshop, modelos de canvas, referências de leitura e compartilhamento da nossa metodologia de processos criativos, os participantes vão receber também o nosso contato para contribuir nas construções e histórias de forma individual. Diogo e Aziz ministram workshop naREDHOOK na Summer Sampler Curitiba. Inscrições online: www.redhookschool.com e outras informações pelo email contato@redhookschool.com

voltar para Blog

show tsN fsN fwB center bsd b03s|tsN fwB bds uppercase b01n left|fwR tsN hide center|bnull||image-wrap|news|fsN fwR normalcase tsN fwB b01 bsd|b01 c05 bsd|news login fwR normalcase|tsN normalcase fwR|normalcase fwR|content-inner||