Design de interação

Design de interação

Observação e compreensão de tecnologias, audiências e meios digitais

 

Design de interação: observação e compreensão de tecnologias, audiências e meios digitais

Érico Fileno, Diretor de Design Estratégico da Welab Design e Inovação

RED NEWS: Como você começou no design? Conte um pouco da sua história.
ÉRICO: A minha entrada ocorreu em 1997, quando comecei a cursar design na UFPR e ocorreu por causa de um livro que li enquanto era bolsista de pesquisa em um centro de inovação no interior de São Paulo - onde morava. Eu era bolsista na área de computação/eletrônica avançada e trabalhava no desenvolvimento de alguns equipamentos e o fator humano era muito determinante nos projetos. Após ler um livro sobre Interação Humano Computador, decidi não seguir com engenharia e mudei para design, inclusive mudei de cidade!
Durante toda a faculdade sempre trabalhei com desenvolvimento de websites e sistemas computacionais. Nessa época tive uma empresa web e não sobrevivi à bolha. Esse fato me deixou mais maduro na relação com as novas tecnologias e me mostrou que deveria me aprofundar na visão de negócios. Depois disso passei pelo Centro de Design Paraná (hoje Centro Brasil Design), por algumas agências locais, empresas nacionais e consultorias em São Paulo. Nunca deixei de estudar o assunto, inclusive com algumas viagens para exterior. Já fui chamado para palestrar em alguns eventos da área na Europa, América Latina e EUA. No momento estou na minha consultoria de design estratégico, chamada Welab, trabalhando com design de serviço, design de interação e pesquisas UX. Temos bons clientes aqui no Brasil e no exterior que nos possibilitam trabalhar em projetos divertidos, sortidos e de grande alcance no mercado.

RED NEWS: O que é design de interação e como sentimos a presença dele em nosso dia a dia?
ÉRICO: O design de interação faz parte do nosso dia a dia, tanto em casa, quanto no trabalho ou na escola. Toda vez que interagimos com alguma pessoa, mediada por algum artefato construído pelo ser humano ou utilizamos algum objeto para nosso próprio uso estamos falando em design de interação. Design de Interação é o campo do conhecimento que estuda como construir um ambiente para experiências significativas para as pessoas através de serviços, materializados em objetos interativos. O foco do Design de Interação está nas relações humanas tecidas através desses serviços interativos. Passa pelo design de interação pensar e construir serviços amigáveis e fáceis de usar!

RED NEWS: Como está esse segmento do design no mercado brasileiro e quais são as perspectivas para os profissionais do país.
ÉRICO: O design de interação só tem crescido no Brasil e no mundo. Aqui ainda de forma mais lenta, mas já com grande impacto para o profissional. Temos os melhores salários e com boas perspectivas de crescimento profissional. São dezenas de vagas toda semana em um grupo no Facebook. O mercado internacional é outro caminho a seguir. O bom profissional de design de interação que está com o inglês fluente está indo ocupar boas posições em empresas nos EUA e na Europa. Na parte do fomento da área, aqui no Brasil procuramos organizar o mercado através da principal associação mundial chamada  IxDA (Interaction Design Association). Eu tive o privilégio de montar uns dos primeiros capítulos na América Latina, aqui em Curitiba em 2007. Também sou uns dos criadores do Interaction South America, evento internacional que reúne mais de 900 profissionais de design por ano. É um evento tão importante no calendário mundial, que nos últimos anos temos recebidos dezenas de designers que vêm para participar do evento, além dos principais palestrantes da área. Esse ano, estamos indo para nosso sexto encontro e será realizado em Buenos Aires, em novembro.

RED NEWS: Como você se mantém informado a respeito do comportamento do público, onde você costuma buscar informação sobre o que está acontecendo, tendências?
ÉRICO: A Internet tem sido uma grande fonte de pesquisa. Hoje nós temos ferramentas para manter um ciclo de pesquisa recorrente, porém é através da imersão e da empatia com o público que estamos extraindo os principais insights para nossos trabalhos. É importante para o designer de interação sair da frente do computador, sair do escritório e ir experimentar o mundo em que vivemos. Por mais que estejamos falando em tecnologias, elas só existem e ganham importâncias nas nossas vidas se elas estão sendo utilizadas. E para saber (ou ter um indício disso) precisamos estar nas ruas sempre, vendo, observando, ouvindo, conhecendo, conversando e interagindo com as pessoas.

RED NEWS: E, por fim, o que é mais importante num gadget de sucesso: a sua interface fácil, funcional e intuitiva ou o desenho da forma moderna, ergonômica e prática? 
ÉRICO: Aqui a resposta não vem através de um "OU". A resposta vem no uso do "E". Um gadget de sucesso tem como características uma interface fácil, funcional, intuitiva E com uma forma ergonômica e prática. É importante ainda somar a facilidade de uso e uma relação afetiva com esse produto. Quando encontrarmos para que serve aquele gadget, de forma simples e construir com isso uma boa relação afetiva em nossas vidas, encontraremos um gadget de sucesso.

voltar para Blog

show tsN fsN fwB center bsd b03s|tsN fwB bds uppercase b01n left|fwR tsN hide center|bnull||image-wrap|news|fsN fwR normalcase tsN fwB b01 bsd|b01 c05 bsd|news login fwR normalcase|tsN normalcase fwR|normalcase fwR|content-inner||