Mate a cobra e mostre o case.

Mate a Cobra e Mostre o Case.

Lucas Santos | Sócio e Diretor de Planejamento da Bangboo

publicitário, agências, capacitação, cursos, redhook, lucas santos, bangboo 

Tenho só 27 anos e estou oficialmente no mercado há 8 anos. Oficialmente porque nasci em berço publicitário, cresci nessa loucura e muitas tardes da minha infância foram dentro de uma agência de publicidade. Meu pai que me perdoe, mas sinto que o discurso atual do mercado do interior é o mesmo ainda de quando eu era criança. E isso muitas vezes para mim é desesperador. Em meus 8 anos de mercado escuto os mesmos questionamentos de uma vida inteira: por que as grandes contas saem do interior e vão para capital? Porque os empresários locais só valorizam financeiramente as agências de fora? Sem contar as brigas acaloradas e intermináveis em APPs da vida (Associação de Profissionais de Propaganda) sobre a união das agências locais. Porém eu sempre tive muito clara em minha mente a resposta dessas perguntas tão difíceis de se responder: capacitação. Aliás, gosto muito de um mantra que o Bruno Regalo me falou em uma conversa via WhatsApp dias atrás: Continue cavando, continue cavando sempre.

Vi as grandes empresas locais investindo muito nos últimos 10 anos, muito mesmo, na capacitação de seus gestores. Consultorias financeiras, consultorias de marketing, consultoria comercial, coaching e por aí vai. Mas não vejo o mesmo movimento no mercado publicitário. Em vez disso, o que acontece é um efeito em cadeia cruel: gestores desatualizados gerando colaboradores e publicitários desinteressados e sem paixão. O mercado do interior nunca terá as mesmas condições e possibilidades do mercado da capital, isso é fato. Mas o que temos de possibilidades, aproveitamos?

Quantas iniciativas legais a Redhook ou o Clube de Criação vêm tentando implantar no mercado do interior nos últimos anos, que pouco têm sido aproveitadas pelas agências? Várias ações gratuitas, onde se conta nos dedos quantos diretores de agência se fazem presentes. Uma grande vergonha. As possibilidades de interação com os grandes publicitários da capital, de São Paulo e do mundo são mínimas. E, ainda sim, não aproveitamos essas oportunidades. Saindo dos diretores e indo para os colaboradores, um grande e chato desinteresse. Egocêntricos, pensam que já estão prontos, atingiram o seu máximo, quando na verdade ainda são donos de um portfólio pífio e nada contribuíram para o mercado publicitário local. Desejam grandes salários, mas nada fazem para merecê-los. Que horripilante tudo isso. Até parece uma grande história de terror.

Não me esqueço nunca de uma frase que ouvi de um amigo, Tenório Cavalcanti, grande redator que tive o prazer de trabalhar e aprender: "Lucas, tem que matar a cobra e mostrar o case." Precisamos buscar mais capacitação. Temos que continuar cavando, sempre cavando. O muro do "mercado de interior" sempre será do tamanho que o construirmos. E estamos construindo uma nova Muralha da China. Estamos perdendo as grandes contas (é bom deixar claro que algumas poucas agências conseguem se destacar e reter esses clientes por aqui, mas acontece), estamos perdendo os bons profissionais que nascem e logo vão embora para grandes mercados (o que não acontece com frequência, pelo desinteresse citado acima, mas quando acontece, rapidamente perdemos) e estamos ficando cada vez mais com as sobras. E a culpa é nossa. Apenas nossa.

A Bangboo não é uma agência muito velha, acabamos de completar 5 anos de vida. E graças a Deus já figuramos entre as principais agências da região. Enxergo isso como resultado de muita luta para não ficarmos presos em toda essa limitação que insiste em ser cíclica e duradoura. Gostamos de interagir com os mercados de fora, aproveitamos todas as oportunidades de cursos que aparecem em nossa frente, workchopps, prêmios, festivais, tendências, blogs, behances, seriados, Netflix... Queremos consumir absolutamente tudo e crescer além daquilo que qualquer um espera de nós. Semanalmente fazemos movimentos internos dentro da agência para discutir os grandes cases do momento, os grandes assuntos, agências e suas filosofias de trabalho, convidamos amigos de outros mercados para o movimento. Enfim, muita luta mesmo.

Meu conselho sempre será: se capacite. Aprenda algo novo todo dia. Gestor: incentive, invista em seus colaboradores. Invista em você. Chega de ficar se "pagando" de grande publicitário, cheio de ego, e ser dono de um trabalho criativo médio e uma agência afundada em dívidas. Pare de culpar os grandes empresários por isso, dizendo que levam embora daqui as grandes verbas locais. E você, que sequer se dá ao luxo de participar nem capacitação gratuita com os grandes profissionais do mercado.

Publicitário, invista em você. Estude. Estude mesmo. Torne-se realmente bom, torne-se realmente diferente, não se limite ao que o mercado de interior diz que você é. Trabalhe em sua agência como se estivesse trabalhando na R/GA, África, Crispin Porter e tantas outras referências mundiais. E, quem sabe, um dia, você estará lá. Mas nunca pare de aprender, nunca pense que já atingiu seu melhor. Você ainda não chegou lá. Tem que matar a cobra e mostrar o case. Ou meus filhos e seus filhos serão eternamente reféns desse discurso maldito e limitante.

 

---------------------------------------------------------------------------

Lucas Santos é Sócio e diretor de planejamento da Bangboo. Públicitário e analista digital com 8 anos de experiência, ex-presidente da ABRADi Paraná durante o biênio 2014-2016. Atualmente é embaixador do Clube de Criação do Paraná em Maringá. Já planejou e conduziu projetos para Prefeitura de Maringá, Arabi’s, Lowçucar, Magro, Wordpress.com, Gazin, Café Iguaçu, Bioímis, UNICESUMAR, Faculdade Integrado, Buysoft, Surya Dental, Paraíso Moda Bebê, Via Tolentino, Lado Avesso, entre outros.

 


Tags: Adicionar tag, agências, capacitação, competitividade, contas, publicitário

voltar para Blog

show tsN fsN fwB center bsd b03s|tsN fwB bds uppercase b01n left|fwR tsN hide center|bnull||image-wrap|news|fsN fwR normalcase tsN fwB b01 bsd|b01 c05 bsd|news login fwR normalcase|tsN normalcase fwR|normalcase fwR|content-inner||